Lucas P.
Lucas P. › Análise

on

Análise ~ Maximum Impact





Certamente Maximum Impact foi a saga mais polêmica de KOF, começou mal, mas se recuperou, com uma história boa, porém inacabada, com vários personagens e um incrível potencial se fosse bem aproveitada, espero que um dia a Playmore olhe com carinho a série e pense em lançar algo para nós dela, como um anime, mangá ou até um jogo quem sabe.Mas vamos deixar as lamentações de lado e vamos ver o que cada jogo da série teve de bom e de ruim?


The King of Fighters Maximum Impact: Se alguém pegou essa versão para conhecer como os personagens de KOF ficariam em 3D deve certamente ter roído as unhas e entrado em desespero, no meu caso, troquei o jogo pelo XI na época. O que dizer dele? Me desculpe Playmore...mas certamente Maximum Impact não foi a melhor mudança de KOF, a jogabilidade nãoi foi boa, a movimentação não era boa...os sons era horríveis, principalmente a voz americana que havia tirado toda a personalidade de todos os personagens, um pesadelo. Alguns golpes do jogo ficaram absurdamente mal animados (Terry nem parecia Terry) era tristeza seguida de tristeza, fora que tinha alguns infinitos absurdamente fáceis que me fizeram trocar o jogo no 1° dia mesmo. De fato, Maximum Impact falhou como um jogo em 3D e ainda mais como um KOF...mesmo com a versão MANIAX ( deveriam estar loucos, por isso o nome )a coisa não andou bem, apenas a adição das vozes japonesas (graças a Deus) e algumas correções de jogabilidade.

The King of Fighters Maximum Impact II : Para começar, o game trazia incríveis 40 personagens, sendo deles 14 desbloqueáveis, ou seja...começou bem, também trouxe uma melhoria gráfica e de gameplay e principalmente sonora, o que corrigiu muito dos erros da versão falhosa do antecessor. Os personagens retornaram com muitos de seus golpes clássicos e foram adicionado um porção de novos também, que deixou o jogo com um toque diferencial, fora que Skins foram adicionadas fazendo referências a muitos outros personagens...uma ideia incrível, a câmera dessa vez ficou bem posicionada e a melhor parte, durante o KO, faz um giro melodramático em 360 graus que parece bem interessante. O sistema Counter foi inserido a fim de acabar com os infinitos ''like'' Tekken que faziam do antecessor um jogo muito desbalanceado ( um K' que vencia em 3 frames de golpes ). Vale a pena ressaltar alguns bons stages e missões que foram até bem divertidas.

The King of Fighters Maximum Impact Regulamentation A: Ou KOF MIRA é nada mais que um ''up'' do MI: II, com novos personagens como Ash Crimson, Blue Mary, Makoto Mizuguchi ( nossa...alguém lembrou dele) Xiao Lon e dentre outros... a jogabilidade voltou a ser o clássico 3x3, porém modos como o História, desafio e muitos Stages foram removidos, uma pena...porém o clima ficou bem mais animado no jogo, a seleção de stages, o locutor, essas coisas deram um toque que eu só vi em KOF '97, as Alternative Customs foram adicionadas novamente, porém, menos bizarras e agora mais radicais...como Bat Ash e Cut Hair Kula...que digamos, descaracterizaram os personagens, não sei como deixaram fazer aquilo com alguns personagens, em compensação Military Leona e White Luise eram belas, e uma série de outras que não comentarei, as músicas do jogo são incriveis, cada uma com sua particularidade, os sons, cameras, entre outros detalhes continuam tão bons quanto em MI:II, mas se você quiser começar a jogar Maximum Impact, aconselho a começar por este.

Não sabe a história da Saga Maximum Impact? Nem seus personagens? O Arsenal fez uma série exclusiva, vale a pena dar uma conferida, ainda mais com novo template que faz com que as janelas sejam abertas rapidamente.